| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

INTRODUÇÂO VERSÂO 2

Page history last edited by Silvana 13 years, 8 months ago

 

 

 

                                         PÓLO DE GRAVATAÍ

                                       2º SEMESTRE DE 2010

                                                           Marinez de Andrade Pinto

                                                 Professora Orientadora: Luciane Corte Leal

                                                 Tutora Orientadora: Cristiane B. de Souza Todeschini

                                       TÍTULO  DO TRABALHO 

           LEITURA NAS SÉRIES INICIAIS - LITERATURA INFANTIL

 

SUMÁRIO:

 

1 - INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA 

2 - OBJETIVOS:

2-1- OBJETIVOS GERAIS

2-2-OBJETIVOS ESPECÍFICOS

3 - PENSANDO A LITERATURA INFANTIL ALIADA A ALGUNS AUTORES coloquei assim para mostrar que é teórico e ainda não a vivência Luciane em 03.11

 3 -1-O PAPEL DA LITERATURA INFANTIL NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

3- 2- A HISTÓRIA DA LITERATURA INFANTIL

3- 3-O LUGAR DA LITERATURA NA ESCOLA

4 -  METODOLOGIA

4 - 1 -NOSSOS ALUNOS

4 - 2  NOSSO PERCURSO 

4-3- DESENVOLVIMENTO DO CAMINHO PERCORRIDO

5 - ANALISE DE DADOS

6 - CONSIDERAÇÕES FINAIS

7 - REFERENCIAS

 

Resumo Dei uma arrumadinha no resumo Lu em 03.11

Este estudo tem como finalidade  compreender a construção do

conhecimento infantil dando ênfase a utilização dos livros infantis como trabalho pedagógico realizado dentro de sala de aula como um dos instrumentos para auxiliar a aquisição da linguagem oral  e escrita da criança.

 Este enfoque temático foi efetuado através do método qualitativo descritivo de observação em sala de aula levando em conta a produção dos alunos mediante o projeto “Leitura para todos” desenvolvido durante o estágio curricular, na turma do 4ºano do Ensino Fundamental de Nove Anos. O estudo mostra que a utilização dos livros infantis serve como instrumento mediador e que auxilia o trabalho pedagógico do educador a propiciar aos seus educando condições indispensáveis para o bom desenvolvimento da leitura.

Palavras-chave: literatura infantil, desenvolvimento infantil, conhecimento, Lúdico, linguagem oral e escrita, leitura.

 

 

  1 - Introdução e Justificativa: 

 

     Durante o Estágio Curricular, desenvolvi com meus alunos o projeto (qual projeto? explique/ o projeto é a Leitura para todos? Não fica claro...) dentro da proposta de trabalho “Leitura para todos.”. A partir daí começamos a pesquisar diferentes tipos de textos para trabalharmos em sala de aula. O projeto se estendeu de tal forma que a participação da família veio de encontro com o trabalho, desenvolvendo em suas casas a colaboração nas realizações das tarefas solicitadas, pois tudo que os alunos pesquisavam tinha a supervisão dos pais em relação aos textos pesquisados para ver se estavam dentro da proposta de trabalho.

     Minha proposta é continuar trabalhando o projeto “Leitura para todos” agora voltado para a Literatura Infantil por ser um campo fascinante e atraente para meus alunos que estão no quarto ano do ensino fundamental de nove com a faixa etária entre 8anos a 9anos de idade a maioria.

     Hoje, nossa escola está engajada também no projeto Leitura (é o mesmo projeto? Leitura para todos?  se for use sempre o mesmo nome para não confundir), cada turma da escola construiu sua caixinha de livros para o projeto que está sendo desenvolvido toda a semana com dias alternados num período de 20 minutos semanais, toda a escola para o funcionamento normal e  passam para a hora da leitura, num projeto de integração com todos os alunos,funcionários e professores.

     Entretanto pela relevância do assunto e também da questão social e considerando que ler é muito importante, pois é com o desenvolvimento do hábito da leitura diária que vamos adquirir ter segurança para o diálogo, a escrita,a comunicação, sociabilidade e aprendizagem. Para isso, é necessário que encontramos novas possibilidades de incentivo e aprimoramento à leitura no contexto escolar.

     A questão que procuramos responder nessa pesquisa é se "a inclusão do projeto de leitura na sala de aula, como integrante da função social da escola, contribui para a formação de um cidadão consciente do seu papel na sociedade?"

     Por intermédio da leitura o ser humano adquire conhecimento e informações, ou capacidade (de ser capaz de) discutir e questionar as diferentes situações que podem surgir no dia-a-dia. É necessário incentivar a relação do aluno com os livros, jornais,revistas viabilizando (possibilitando) assim o acesso a leitura e possibilitando (viabilizando) a aprendizagem.

      Este estudo pretende desenvolver atividades que convergem para ações voltadas diretamente para alunos e professores das séries iniciais do ensino fundamental. O ensino da leitura e, particularmente, a importância da literatura como um dos instrumentos fundamentais na formação pessoal e intelectual do ser humano ainda nas séries iniciais.

     Tradicionalmente, na instituição escolar, lê-se para aprender a ler, enquanto que no cotidiano a leitura é regida por outros objetivos, que conformam o comportamento do leitor e sua atitude frente ao texto.(isso não seria em cima?) No dia-a-dia, uma pessoa pode ler para agir – ao ler uma placa, ou para sentir prazer – ao ler um gibi ou um romance, ou para informar-se – ao ler uma notícia de jornal. Essas leituras, guiadas por diferentes objetivos, produzem efeitos diferentes, que modificam a ação do leitor diante do texto. São essas práticas sociais que precisam ser vividas em nossas salas de aula.

     Apesar de todos os problemas funcionais e estruturais é na escola que (a grande maioria das) as crianças aprendem a ler. Muitas têm no ambiente escolar, o primeiro (e, às vezes, o único) contato com a literatura. Assim fica claro que a escola, por ser estruturada com vistas à alfabetização e tendo um caráter formativo, constitui-se num ambiente privilegiado para a formação do leitor. Considera-se que o gosto pela leitura se constrói através de um longo processo e que é fundamental para o desenvolvimento de potencialidades. Há a necessidade de se propor atividades diversas e diferenciadas para a formação do leitor crítico.

     Os objetivos gerais do (desse) estudo consistiu em formar o leitor autônomo (alunos e professores das séries iniciais), através do estímulo à sensibilidade, criatividade e criticidade e da formação do gosto pela leitura, contribuindo para a construção de uma cidadania plena. Prevê na motivação da leitura nas séries iniciais um dos mecanismos para a formação de leitores efetivamente comprometidos com a prática social.

      Para desenvolver este trabalho tenho como objetivo geral, desenvolver nas crianças um pensar mais interrogativo, reflexivo e investigativo, bem como, as experiências filosóficas, cognitivas e dialógicas através de experiência investigativa em sala de aula na (ou com a? ) literatura infantil.

     Dentro do referencial teórico, vivenciando a literatura infantil apoiei-me nos autores ( fiz referencia aos teóricos) (autores, já há teóricos na frase)  Regina Zibermam, Laura Sandroni, Richard Bamberger e Paulo Freire por considerar que suas idéias vem de encontro as necessidades que tive na construção desse projeto de trabalho.

     Para a metodologia destaquei todas as contribuições desenvolvidas no projeto do estágio curricular, que foram (contribuições essas) organizadas no planejamento diário com os alunos.

     Dentro da analise de dados descrevo o planejamento e o desenvolvimento do projeto trabalhado.

     Assim como, nas considerações finais, demonstro o enriquecimento do assunto trabalhado e de como esses, (que vieram a) acrescentaram no nosso dia-a-dia a importância de desenvolver a literatura infantil e também os mais variados tipos de leitura na construção da qualidade da educação.

 

2. Os objetivos:

 

Os objetivos  deste trabalho são:

 

2.1 Geral:

 

  • Investigar o uso da literatura como um contexto significativo, como um dos instrumentos auxiliares no desenvolvimento das crianças de um pensar mais interrogativo, reflexivo e investigativo,  

 

 

 

2.2 Específicos:

  •  Pesquisar se o uso da literatura infantil como instrumento serve para estimular a investigação filosófica.
  •  Demonstrar, se através de contextos literários, desenvolve-se a capacidade da criança de fazer perguntas filosóficas, metafísicas lógicas.
  •  Identificar se as habilidades cognitivas (de investigação, raciocínio, formação de conceitos e tradução) e o pensar bem através do uso da literatura infantil e atividades lúdicas é auxiliado pelo uso da literatura infantil.

 

3. REFERENCIAL TEORICO:  (Arrumar o título se aceitaste minha sugestão) 03.11

     Vivenciando a Literatura Infantil 

      O estudo realizado tem por objetivo, verificar a contribuição da literatura infantil no desenvolvimento social, emocional e cognitivo da criança. Ao longo dos anos, a educação preocupa-se em contribuir para a formação de um indivíduo crítico, responsável e atuante na sociedade. Isso porque se vive em uma sociedade onde as trocas sociais acontecem rapidamente, seja através da leitura, da escrita, da linguagem oral ou visual.

 

 3- 1  O papel da literatura infantil no desenvolvimento da criança

     A literatura infantil tem um papel importantíssimo na vida da criança, pois oferece as mesmas oportunidades de conviver e viver o imaginário, fornecendo uma visão original à criança, pois ao ler a mesma adquire um conhecimento do real e também do não-real. Ao ter contato com livros literários, seja com pequenas gravuras e textos simples ou mais sofisticados, a criança pode criar seu próprio mundo vivendo vivenciando seus sonhos, fantasias oportunizando o conhecimento de si mesmo e do ambiente que a cerca.

     A literatura possibilita, também, à criança, uma leitura em vários níveis: o sensorial, através dos aspectos exteriores do livro; o emocional, pelos sentimentos que a leitura provoca e o racional, pela reflexão a que conduz e a construção do conhecimento.

     Segundo ZILBERMAN (2003, p.29), “a Literatura Infantil é levada a realizar sua função formadora, que não se confunde com uma função pedagógica”. Ela dá conta de uma tarefa que está voltada toda a cultura

de conhecimento do mundo e do ser”. (não entendi essa última frase)

     Ler, normalmente é fonte de prazer, estímulo á criatividade, enriquecimento de experiências e motivação de aprendizagem. Para isso, o professor deve cuidadosamente selecionar os livros e textos literários para trabalhar com seus alunos.  

     As histórias e contos podem ser apresentados de várias maneiras, de acordo com a criatividade e a disponibilidade de cada professor e as condições da turma de alunos. O professor deve, na medida do possível variar as formas de leitura utilizadas, como: leitura oral, com gravuras, leitura simples, espontânea, dramatizações com fantoches, leitura apenas com gravuras, histórias apenas apresentando o início e o meio, deixando que as crianças imaginem e criem o final da mesma.

     Quando deixamos que a criança crie sua história esta estará desenvolvendo sua criatividade, despertando a curiosidade, expressando sentimentos, desenvolvendo o raciocínio e trabalhando a memória. Quando os pais lêem histórias ou inventam colocando as crianças como personagens, despertam na mesma novas idéias e conhecimentos e, também, enriquece o vocabulário das mesmas. A dramatização das histórias ou brincadeiras de faz-de-conta também leva à criança a vivenciar a história, isto é muito importante para a socialização com os outros e a história em si.

     Em suma, mesmo que a criança não conheça a escrita deve ter contato com livros e, no decorrer da sua vida, irá adquirir o hábito da leitura. O professor precisa trabalhar com literatura infantil na escola fazendo o possível para que as crianças não achem chato, desestimulante ou obrigatório à leitura e sim uma atividade prazerosa, interessante, criativa e muito atraente.

     A atividade lúdica surgiu como uma nova forma da abordar os conhecimentos de diferentes formas é também uma atividade que favorece a interdisciplinaridade, pois através de um jogo de brincadeiras podemos englobar o mesmo conteúdo em diferentes disciplinas. O lúdico é reconhecido como elemento essencial para o desenvolvimento da várias habilidades em especial a percepção da criança.

Poderias explorar a questão da interdisciplinaridade como um plus a mais nessa questão.

 

  3.2 A História da Literatura Infantil.

     A literatura Infantil tem origem nas narrativas populares européias, contadas pelos povos antigos; não há uma precisão em datas, mas muitos historiadores acreditam que a mais antiga dessas narrativas, seja uma coletânea de histórias do séc. V AC, supostamente nascida na Índia, que tem por título “Calila e Dimna”, porém essa coletânea teria ganhado o mundo somente no séc. VI dc, por meio de uma tradução persa, e posteriormente foi traduzida para os seguintes idiomas: grego, sírio, egípcio, hebraico, latim e castelhano.

     Essas narrativas assemelham-se muito com os contos da mais famosa coletânea de todos os tempos ”As mil e uma noites”, estudiosos da área, arriscam dizer que ambas são pertencentes ao mesmo ciclo narrativo, pois como é de conhecimentos de todas essas histórias eram passadas oralmente de geração pós geração e ao mesmo tempo levadas aos lugares distantes, pelos viajantes daquela época, podendo assim ultrapassar o tempo e as distâncias.

     As duas coletâneas não somente tentam passar lições de moral e boa conduta (o bem sempre vence o mal), como também coincidem em muitos outros aspectos, tais como, tratam de temas do mundo desconhecido, explicitando desse modo ao leitor situações surrealistas, aquelas situações abstratas, fora da realidade e do cotidiano humano, portanto incompreendidas dentro do limite da capacidade intelectual do homem.

     No século XVII, a criança era vista como um adulto em miniatura, podendo desta maneira participar das atividades apropriadas aos adultos; eram elas: esportivas ou intelectuais, deste modo, não existiam leitura destinada somente à criança, já que, esta perante a sociedade não tinha características próprias da infância, mediante a isto, a educação atribuída à criança era a mesma oferecida ao adulto. A única educação diferenciada, era a educação dos filhos da nobreza e os filhos da classe desprivilegiada, os pequenos nobres deliciavam-se na leitura em grandes clássicos; já os filhos dos pobres, a esses lhe restavam ouvir histórias de cavalaria, heróis desconhecidos, lendas ou contos, que eram contadas e recontadas oralmente pelo povo, essas histórias tinham como características uma linguagem simples (popular), tornando sua compreensão fácil; formando assim as primeiras literaturas de cordel.

     O século XVIII é marcado por grandes transformações sociais e econômicas, no âmbito social surge uma nova classe denominada burguesia, esta classe buscava estabilidade no poder por meio da intelectualizarão é nesse período que grandes artistas, pintores e escritores são valorizados, e como é de conhecimento de todos, que a educação é a grande arma de um país, há uma reorganização escolar e, juntamente a essa, a Literatura Infantil floresce.

Considerando Regina Zilberman, em seu comentário sobre o surgimento da Literatura Infantil. (essa frase esta solta aqui no meio)

Antes da constituição deste modelo familiar burguês inexistia uma consideração especial para a infância. Essa faixa etária não era percebida como um tempo diferente o mundo da criança como espaços separados pequenos e grandes compartilhavam dos mesmos eventos, porém nenhum ato amoroso especial os aproximava. A nova valorização da infância gerou maior união familiar, mas igualmente os meios de controle do desenvolvimento intelectual da criança e manipulação de suas emoções. (1981: p 15)

     É notória a união estreita da Literatura Infantil, a Pedagogia, pois, os educadores da Europa assumiram a responsabilidade de criar uma leitura voltada somente para o público infantil.

Em particular cogitamos que o aspecto literário, conhecido como Literatura Infantil, surge da consolidação da burguesia na sociedade, e é neste momento que nasce a concepção de infância, portanto, esse tipo de literatura neste período, ocorre como um mecanismo de massificação da sociedade proletariado a fim de alimentar a ideologia da nova classe dominante, que impõe o “ENSINO” como instrumento obrigatório, e o livro didático dentro desse quadro social tem como função colaborar para a intensificação dessa ideologia.

     Concluímos deste modo, que a Literatura Infantil, assume duas características: primeira, a dominação do jovem, no qual assume um caráter pedagógico, transmiti normas que influenciam na formação moral dos futuros adultos; a segunda compromete (ou vem ao encontro do interesse?) com o interesse da criança, transforma-se num meio de acesso real, ao domínio lingüístico, a novas experiências através das leituras, este segundo aspecto é um componente importante e indispensável no desenvolvimento intelectual da criança.

     No Brasil tivemos escrevendo Literatura Infantil, José Renato Monteiro Lobato, mais conhecido como, Monteiro Lobato, foi ele o primeiro escritor, que teve o respeito e o compromisso para com a infância, pois despertou um mundo de fantasias adormecido no imaginário infantil.

Monteiro Lobato com toda certeza, revolucionou a Literatura Infantil. Seu ápice foi a obra “Sitio do Pica-Pau Amarelo”, pois nascia aí um verdadeiro universo fabuloso destinado à criança.

Segundo Laura Sandroni. (isso é citação?)

Monteiro Lobato foi o primeiro escritor brasileiro a acreditar na inteligência da criança, na sua curiosidade intelectual e capacidade de compreensão (1987: p 60)

Monteiro Lobato, conseguiu resgatar o universo mágico que existe no imaginário de cada criança, e as fez sonhar com um mundo que só existe nos sonhos infantis, deste modo ajudou muitas crianças (a terem uma) na boa formação de caráter, pois suas obras além de conter muita criatividade, retratam o certo e o errado (julgamento moral? Piaget...) de uma maneira sutil e delicada, que somente quem é criança consegue interpretar Monteiro Lobato não ensinou a criança a sonhar, mas sem dúvida nenhuma deu a elas milhares de novos sonhos. (grifo meus).

 

 3-3 O LUGAR DA LITERATURA NA ESCOLA 

      "É na escola que identificamos e formamos leitores..." Bamberger (1988, página?). Quando se fala em criança, pode-se perceber que a literatura é indispensável na escola como meio necessário para que a mesma compreenda o que acontece ao seu redor e para que seja capaz de interpretar diversas situações e escolher os caminhos com os quais se identifica.

     Daí a importância em se propiciar a leitura e a literatura de modo a permitir ao aluno criar e recriar o universo de possibilidades que o texto literário oferece. Pode-se dizer que a escola tem a oportunidade de estimular o gosto pela leitura se consegue promover de maneira lúdica o encontro da criança com o trabalho.

A literatura tem sua importância no âmbito escolar devido ao fornecimento de condições (que condições?) que propicia à criança em formação. Essa literatura é um fenômeno de criatividade, aprendizagem e prazer, que representa o mundo e a vida através das palavras
     Segundo Paulo Freire (ano?) a leitura do mundo precede sempre a leitura da palavra. O ato de ler se veio dando na sua experiência existencial. Primeiro, a “leitura” do mundo do pequeno mundo em que se movia; depois, a leitura da palavra que nem sempre, ao longo da sua escolarização, foi a leitura da “palavra mundo”. Na verdade, aquele mundo especial se dava a ele como o mundo de sua atividade perspectiva, por isso, mesmo como o mundo de suas primeiras leituras.

     Por todas essas razões, a leitura é uma forma exemplar de aprendizagem. Estudos psicológicos revelaram que o aprimoramento da capacidade de ler também redunda no da capacidade de aprender como um todo, indo muito além da mera recepção. A boa leitura é uma confrontação crítica com o texto e as idéias do autor.

     Quando se estabelece a relação entre o novo texto e as concepções já existentes, a leitura critica tende a evoluir para a criativa, e a síntese conduzirá a resultados completamente novos.

     A leitura é um dos meios mais eficazes de desenvolvimento sistemático da linguagem e da personalidade. Trabalhar com a linguagem é trabalhar com o homem (BAMBERGER,1988).

     A aprendizagem da leitura é um processo que implica desde a diferenciação entre a escrita e outras formas de registro, como desenho por exemplo, até a leitura convencional. Todas as tentativas que o sujeito traz para atribuir sentido a um texto são leituras. Além disso, há muitos conhecimentos de leitura que

não se restringem ao domínio do código alfabético, como por exemplo a capacidade de distinguir tipos de textos (narrativos, informativos, poéticos, instrucionais, etc...).

     A leitura, hoje, mais do que nunca, significa o encontro das pessoas com elas mesmas.

 

 

4- METODOLOGIA: Substituir por ESTRATÉGIA METODOLÓGICA

 

4.1 Nossos alunos

     O trabalho foi desenvolvido na Escola  Municipal de Ensino Fundamental Bonsucesso no municipio de Gravataí, durante o estágio curricular do Curso de Licenciatura em Pedagogia nas Séries Iniciais (EAD), atendendo uma clientela com a faixa etária entre 8 anos a 13 anos de idade cursando o 4ºano do EF9, no período de nove semanas, o trabalho foi crescendo de tal forma que continuou sendo desenvolvido após o termino do estágio por entender que a leitura faz parte do nosso cotidiano e que é necessaria para uma boa aprendizagem.

     Entretanto, dentro da minha prática pedagógica iremos desenvolver o projeto "LEITURA PARA TODOS",onde professor x (e) aluno juntos no processo ensino aprendizagem, irão despertar a formação do conhecimento e não apenas a informação com a intenção de formar sujeitos com conhecimento, despertando nos alunos o prazer da leitura. Ao realizar esse projeto em qualquer área do conhecimento de forma sistematizada e contínua, ao longo do ano letivo, entendendo que desenvolver o gosto pela leitura é um proceso lento e deve ser trabalhado interativamente com as demais disciplinas curriculares (Forma interdisciplinar, como citastes acima) , vinculando com diversos ambientes interativos afim de transformá-lo num cidadão critico para enfrentar as novas situações no futuro.

 

4.2 Nosso percurso

 

     Portanto para se desenvolver a escolha do tema deve se levar em consideração fatores internos e externos.

     Os fatores internos apontaram para o trabalho realizado (desenvolvido) no estágio curricular dentro da leitura e literatura infantil, pois esse assunto atende as curiosidades dos alunos, o interesse e a fantasia desperta um processo realmente essencial para o trabalho.

      A metodologia no trabalho desenvolvido foi da seguinte forma:

      - Montagem de um expositor com diferentes tipos de leitura (clássicos da literatura infantil, reportagens, textos diversificados, músicas, anúncios de jornais e revistas, outros.), recriação de textos, produções textuais, ensaios com músicas, apresentações para a turma.

     Os fatores externos apontaram à existência de um acervo na sala de aula, na biblioteca para leitura e pesquisas, o uso da internet e outros afins.

 

 4-1 DESENVOLVIMENTO DO CAMINHO PERCORRIDO

     O projeto teve início no dia 12 de abril de 2010 e nesse encontro estavam presentes aproximadamente 25 ouvintes na faixa etária de 8 a 13 anos:  meninos   e   meninas da classe social média baixa e regularmente matriculados na escola pública.

     Os encontros ocorriam todos os dias de segunda a sexta-feira  no horário das 13horas às 17horas e  aos sábados, com alguma atividade extra classe.

     Nesta proposta de trabalho desenvolvi com os alunos atividades diversificadas dentro da leitura onde foi proporcionado a eles um ambiente agradável e diferenciado conforme as dependências da escola com aulas na biblioteca, na rua( no pátio da escola) procurando sempre oportunizar um clima  envolvente para que todos ficassem a vontade para fazer suas leituras tanto individual como em grupo, pois ouvir e contar histórias é fundamental para o desenvolvimento da identidade da criança porque,à medida que ela se identifica com a história ou com os personagens, poderá se tornar capaz de resolver os seus próprios problemas e sentir-se forte para enfrentá-los. (jogo simbólico) Desencadeia,também, idéias,opiniões, sentimentos desenvolvendo a potencialidade criativa, a fantasia, antecipando situações que a criança só iria experimentar na sua vida adulta.Dentro desta proposta de trabalho desenvolvi com os alunos atividades como: leituras, apresentações em grupo, produções textuais( em grupo e individual),  histórias em quadrinhos.

     Todo o trabalho produzido com o grupo foi interdisciplinar procurando  transversalisar os temas e dar maior abrangência aos objetivos propostos, onde todos colaboram com suas ideias trazendo para o grupo a diversidade para os temas trabalhados.

      Desenvolvemos o sub-tema "Período Cultural" e dentro deste (sub-tema) destacamos o chavão "Quanto mais, leio mais gosto”, pois a Literatura Infantil  dentre outros suportes de textos apresentados à crianças, ocupa um papel de sensibilizadora de uma geração capaz de pensar criticamente e de superar os limites das experiências já adquiridas pela sociedade.

     É neste sentido que a Literatura Infantil oportuniza ao ser humano a consciência de linguagem, o despertar, ampliar e a manifestar de sua criação a consciência crítica.

Vale lembrar que o contado da criança com o objeto livro é fundamental para que se manifeste interesse pela leitura, oportunizando (a construção da) leitura do mundo que a cerca. Trabalhando Literatura Infantil com Monteiro Lobato onde destacando pontos principais de sua vida e obra, podemos entender melhor toda a sua motivação para uma criação tão bonita. (frase sem sentido) Ao longo da semana os alunos confeccionaram um livrinho que baseado na obra original de Monteiro Lobato escreveram a sua obra, também podemos trabalhar o espaço rural e o espaço urbano, ligando onde Monteiro Lobato viveu e cresceu, trabalhamos também as datas comemorativas do mês de abril destacando os pontos importantes que cada uma deixou no legado brasileiro.

      A semana foi  muito produtiva, desenvolvemos as atividades propostas atingindo os objetivos propostos. A avaliação dos alunos me surpreendeu, a turma gostou muito de como foi conduzidos os conteúdos, pois a aula ficou prazerosa, e quando fazemos algo prazeroso aprendemos sem ver o tempo passar.

      Trabalhamos o sub-tema "Mãe, Mulher e Trabalho" e dentro desse planejamento vamos desenvolver o projeto "Leitura para Todos"que abrange pontos importantes dentro da nossa aprendizagem, pois vivemos em uma constante produção de conhecimentos, de informações que fazem parte do nosso cotidiano, onde devemos ampliar as condições de acesso a leitura, estimulando a imaginação, a curiosidade, a capacidade intelectual e o senso crítico,assim contribuiremos na formação de futuros cidadãos leitores.

        Em nossas atividades realizamos leituras de textos engajados com o sub-tema em destaque. Trabalhamos o tema "Mãe”. Esse tema nos levou a refletir sobre pontos que se referem as nossas ações, comportamentos em respeito à mãe, mulher que trabalha fora de casa e vive em uma sociedade tão cheia de preconceito. Também trabalhamos a valorização das profissões e sua importância dentro da sociedade, buscando um entendimento que todas as profissões são importantes e devem ser valorizadas para que todos como cidadãos, possam fazer parte no meio em que estão inseridos.

     Entretanto, nosso crescimento intelectual aumenta o cada dia, pois os alunos estão em idade de querer sempre mais, sua curiosidade está num processo muito aguçado. Todas as atividades realizadas em sala de aula ou em qualquer outro ambiente fazem com que nosso potencial de conhecimento aumente cada vez mais. Segundo Paulo Freire: "Não há saber mais ou menos. Há saberes diferentes.”. (ano? página?)

       Para o grupo foi muito importante essa troca de experiência, pois desta  forma podemos trabalhar diferentes tipos de leitura envolvendo e desenvolvendo os conteúdos a serem trabalhados dentro do porgrama já propostos no trimestre. Como já havia citado a cima a criatividade a e disposição dos alunos em trabalhar em grupo ou individual foi surpreendente. Talvez, possa corroborar que a disposição deles em relação ao projeto foi surprendente)

 

  5 - Análise dos dados Aqui tens que articular a prática com teu referencial teórico.

Dá uma olhada nos teus dados e tenta pensá-los a partir da teoria que trouxeste - no teu trabalho só falta

isto bjs LU em 03.11 

     O presente estudo teve uma abordagem condutora através da pesquisa qualitativa, uma vez que se constitui num processo de sala de aula baseando-se na critica sobre os fatores que se entende por uma melhor qualidade na aprendizagem na contextualização da realidade inserida na escola.

     O procedimento para a coleta de dados, foi realizado em sala de aula, durante os trabalhos desenvolvidos com registros diários feitos pela professora no decorrer do período.

     O trabalho foi desenvolvido dentro das dependências da escola com material adquirido na biblioteca e também com livros trazidos pelos alunos. Todo o material manuseado pelos alunos é adequado à faixa etária apropriada a eles. A prática da leitura é desenvolvida diariamente com o propósito de desenvolver em todas as  interdisciplinas, considerando que é por meio da leitura que adquirimos parte do conhecimento para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita.

     Com tudo o trabalho oportunizou uma pratica diversificada em leitura na sala de aula onde os alunos lêem sob diversas formas literárias, poesia, contos, histórias em quadrinhos e gibis. E a partir desse trabalho nota-se que a leitura já faz parte do seu cotidiano, pois o interesse na busca de novas literaturas aumenta a curiosidade de cada um, pois através da fantasia, da magia, do saber, buscam a cada momento um  novo conhecimento uma descoberta para um mundo diferente e encantador.

Aqui, tens que trazer os dados que referes lá acima, ou seja, como eram os alunos antes do processo, o que se modificou, porque se modificou (tanto em nível individual, como grupal). Trouxestes também o envolvimento dos pais nesse processo, como o restante da instituição escolar, bem como a continuidade desse projeto, após o término do teu estágio. Isso, são são os dados da tua pesquisa, que tens que corroborar com a teoria que estudastes. Outro ponto importante a destacar, é de como a literatura infantil, ultrapassou a sala de aula, ocupando espaços maiores (pátio, lares, outras disciplinas... ). Enfim, procures ver todo o processo e ver a teoria que trouxestes juntando o que aconteceu com o que os autores dizem sobre isso, bem como, a visão que tu tens sobre o processo vivenciado. Podes colocar também, citações, frases de alunos, pais, outros professores, como exemplos desse percurso.

 

7- Considerações Finais 

 

A Literatura, em especial a infantil tem uma tarefa fundamental a cumprir

nesta sociedade em transformação: a de seguir como agente de formação, seja no espontâneo convívio leitor/livro, seja no diálogo leitor /texto. Essa função deve ser estimulado pela escola.

A leitura  é fundamental para o crescimento intelectual da criança, porque, ela permite no decorrer do desenvolvimento, a possibilidade de experimentação de várias sensações como: alegria, medo, riso, tristeza e etc. São estes sentimentos que ajudam a criança no desenvolvimento psicológico e emocional, porque a criança enfrenta seus medos, seus anseios, naturalmente e tranqüilamente, de acordo com sua faixa etária, garantindo-lhe um crescimento saudável e uma maturação biológica de acordo com a formação e estrutura cerebral.

Ao pensarmos na importância da Literatura Infantil: um estudo sobre as.

contribuições da linguagem oral e escrita da criança”, leva-nos  a questionar uma variedade de assuntos e temas, entre eles: o papel da escola, do educador, do educando e a interação que se faz entre eles, com relação ao assunto proposto em nosso estudo, ou seja, como nos dias atuais, a Literatura Infantil vem sendo trabalhada em sala de aula, uma vez que, a escola sempre priorizou e prioriza, a leitura como ponto de partida para o desenvolvimento e sucesso do aluno em toda sua vida escolar.

 Dentro de sala de aula, percebesse  que as atividades desenvolvidas são

muito exploradas através, de teatros, musicas, fantoches, poesias, textos literários infantis, desenho, que é a representação gráfica das histórias, há também, a criação de pequenos textos de acordo com a faixa etária pesquisada, redirecionando assim as várias formas de desenvolver a leitura; e nada mais educativo e eficiente que o lúdico como atividade pedagógica; fazendo com isso um meio significativo para o aluno em relação a Literatura Infantil.

Este estudo começou a  com a questão norteadora,que serviu de apoio para todo o percurso deste trabalho, e sem duvida nos referenciais teóricos o suporte para  todo o desenvolvimento  e para que esse trabalho fosse

realizado com objetividade foi traçada a metodologia para que fosse feito passo a passo à trajetória geral do trabalho.

O estudo, desde o inicio foi muito gratificante, pois o tema escolhido  foi muito prazeroso, já que, a Literatura Infantil sem dúvida é muito rica, e

porque não dizer mágica, e nos envolve completamente, desde, sua origem, já que, não deixa de ser a própria história.

 Após o trabalho desenvolvido observei que, nos dias atuais  não só incluo a Literatura Infantil em meu plano de aula, como há uma conscientização sobre o efeito positivo e benéfico da Literatura Infantil

Este tema também teve como proposta estimular a reflexão de todos nós

sobre a importância da Literatura Infantil, e seu significado para a construção da melhoria da educação, porque, a criança é um ouvinte muito exigente.

Podes explorar mais as tuas considerações, quer dizer, quais as implicações de toda a tua pesquisa para a tua atuação como docente? O que alterou em ti esse estudo? Nos teus alunos? A importância da construção da cidadania... etc.

 

 

8 - Referências 

 

 

SANDRONI, Laura. De Lobato a Bojunga: as reinações renovadas. Rio de Janeiro: Agir, 1987.

Freire, Paulo.  A Importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam.  22 ed.  São Paulo: Cortez, 1988. 80 p.

BAMBERGER, Richard. Como incentivar o hábito de leitura. 4 ed. São Paulo: Ática, 1988.

BORDINI, M.G. e AGUIAR, V.T. Literatura: a formação do leitor - alternativas metodológicas. 2.ed., Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993.

GERALDI, J.W. Prática da leitura na escola. Em: ______. (org.). O texto na sala de aula.

ZIBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. 4.ed.São Paulo; Global

Projeto do Estágio Curricular  - 2010 /1. Semestre VIII

 

 

 

 

 

Comments (9)

Marinez de Andrade Pinto said

at 2:18 pm on Oct 2, 2010

Olá,professora Silvana!Bem vinda! A primeira observação que a senhora vez no meu trabalho "que projeto?" na mesma linha aparece logo a frente o projeto "Leitura para todos" que foi trabalho diariamente no meu estágio com meus alunos.bj.Marinez

lucreal@... said

at 8:29 pm on Oct 3, 2010

Oi Marines!!! Teu trabalho está ficando bom...
Dei uma arrumada na tua versão... coloquei os objetivos logo após a introdução. Na metodologia tens que descrever os sujeitos do trabalho... a tua turma de alunos, período, etc...
Quando descreveres como foi o trabalho com os alunos dentro deste projeto é um novo capítulo....
Bjs profa. Luciane em 03/10

Marinez de Andrade Pinto said

at 4:23 pm on Oct 11, 2010

Olá, professora Luciane! Tudo bem! Que bom que estou entrando no caminho certo.Só não entendi como fazer na introdução como assim apontar os novos capitulos, todos os novos subtemas que vou falar.Completei a parte da metodologia que estava faltando,o inicio.Gostaria que a senhora desse uma olhadinha para ver se ainda esta faltando alguma coisa, logo abaixo escrevi dois subtemas para dar continuidade a metodologia pode ser assim.Bj.Marinez.

cristiane.pead said

at 7:16 pm on Oct 14, 2010

Oi, Marinez!
Dando uma lida no teu trabalho, eu penso que a última parte da metodologia, o item 4-2- O papel da literatura infantil no desenvolvimento da criança, tem mais relação com a fundamentação teórica do que com propriamente a metodologia.
Mas vamos aguardar a avaliação da professora Luciane a respeito.
Abraços, Cristiane Todeschini, tutora.

cristiane.pead said

at 4:05 pm on Oct 15, 2010

Oi de novo, Marinez!
O item 4-2 também pd ser o início da análise.
Abraços, Cristiane.

lucreal@... said

at 3:03 pm on Nov 3, 2010

OI Marinez.
Teu trabalho está muito bom. Coloquei algumas sugestões em alaranjado. Agora tens que te deteres na análise dos dados... o resto está ok.. Talvez na leitura final tenhas que ajustar algumas coisinhas, mas isto é normal....
Tenta analisar os dados, transforma ele em word e envia para mim e para a Silvana...
Bjinho LU.

Silvana said

at 6:43 pm on Nov 5, 2010

Oi Marinez!
O trabalho está quase! Coloquei algumas coisas em verde e agora é só reorganizar e ir incrementando. Tens muito material nele, que nao está sendo explorado, o que torna um desperdício a tua pesquisa.
Vou aguardar a versão em word.
Bjs e bom trabalho.
Silvana

Marinez de Andrade Pinto said

at 9:26 pm on Nov 8, 2010

Olá.professora Luciane!Obrigado, pelas observações feitas,postei o tcc na data marcada.aguardo ! Lu, gostaria de saber se já temos as datas marcadas para a apresentação do tcc, pois tenho eventos marcados com meus alunos nessas datas e preciso confirmar o dia que ficou minha apresentação, li os dias entre o6/12 a 10/12, mas preciso saber qual o dia da minha apresentação.Bj.Marinez

cristiane.pead said

at 10:10 am on Nov 19, 2010

Oi, Marinez!
Td bem?
Assim que vc finalizar a versão 2 do TCC, me envia por e-mail para eu poder ler e lhe reenviar com mais tempo para trabalhar no TCC (se for necessário)
antes da entrega final, no próximo dia 22.
Bjos e bom final de semana!
Cristiane Todeschini, tutora.
cristiane.pead@gmail.com

You don't have permission to comment on this page.